Notícias

"Formare é o principal projeto social da Delphi na América do Sul", diz Gábor Deák

  • A+ A-
  • Print option in slimbox / lytebox? (info)

* Atualizado às 9h41 de 11/5/2011.

 

A fabricante de autopeças Delphi tem motivo triplo para brindar. Além de comemorar os 10 anos de parceria com o Formare e a formatura das turmas de Piracicaba (SP) e Cotia (SP), respectivamente nos últimos dias 28/4 e 2/5, celebra a união entre os colaboradores propiciada pelo projeto social.

 

“O Formare é o principal projeto social da Delphi na América do Sul. Nestes 10 anos, formamos cerca de 800 jovens e nos tornamos a empresa com o maior número de escolas Formare no Brasil”, comemora Gábor Deák, presidente para a América do Sul. 

 

Para o assistente de RH Claudinei do Nascimento, o legado positivo é fruto da maturação coletiva.  “Vencidas as resistências iniciais por ser uma novidade, a empresa toda passou a apoiar o projeto, o que nos estimula bastante a manter a chama do voluntariado acesa”, diz Nascimento, educador voluntário e coordenador do projeto em Cotia.


Deák confirma este apoio na prática. Além de ter disparado cartas para estimular a adesão de novos voluntários, sempre torna pública a sua satisfação com o programa da Fundação Iochpe: “Nosso exército de cerca de 300 educadores voluntários, espalhados em nossas unidades, oferece mais do que aulas teóricas e práticas, mas experiências de vida. Educamos e continuamos a educar as novas turmas para o primeiro emprego, para o mercado de trabalho em geral e para um melhor convívio com a sociedade”, completa.

 

::DELPHI PIRACICABA FORMA 10ª TURMA; VEJA COMO FOI

11023456789

 

Mão dupla – O Projeto Formare tem o grande diferencial de, no processo de transmissão de conhecimentos, o próprio educador sair fortalecido. Para Luiz Paulo Reali, gerente de operações da Delphi Piracicaba, “a prática de ministrar aulas e lidar com adolescentes é uma forma de melhorar o relacionamento entre as pessoas e enfatizar o trabalho em time, competências chave para o sucesso das organizações. Fica muito clara a gratidão que os funcionários têm com a empresa pela oportunidade dada, além da melhoria no clima interno”.


Já para Deák, o aprimoramento das habilidades pessoais são pontos fortes: “Todos os voluntários têm a chance de desenvolver competências que, muitas vezes, não estão em seus escopos de trabalho, como falar em público, atuar como professor e liderar”.

O educador Rogério Rudi da Vitória diz que, com as aulas, pôde se tornar um funcionário mais bem preparado. “Sou introvertido e as aulas me permitem trabalhar a fala em público e lidar com as pessoas. Elas também despertam o sentimento de beneficência e o senso de responsabilidade, de estar fazendo bem a sua parte”, diz Rudi, que é supervisor geral de engenharia de produtos e aplicação em Cotia.

 

Divulgação


Os alunos, por seu lado, acabam sendo os mais beneficiados pela estrutura e disposição geral do programa e colaboradores. “Eles entram aqui confusos e saem mais humanos, compreensivos e firmes nas decisões. O acesso às informações e a bagagem que adquirem também são um diferencial enorme perante outros candidatos no mercado”, diz Claudinei do Nascimento.

 

“Os jovens adquirem uma visão muito clara de que precisam se especializar. Tem aumentado muito a busca dos formandos por faculdades e programas de financiamento estudantil”, revela Rudi.

 

::VEJA FOTOS DA 9ª TURMA DA ESCOLA FORMARE DELPHI COTIA

123

 

Jovens diferenciados - Gabriel Pacheco de Novaes, 26, e Ingridy Novais Sabino, 17, são exemplos do sucesso atingido pelo Formare dentro da Delphi. O ex-aluno da turma de 2002 foi contratado logo após a conclusão do curso e, hoje, é operador na área de usinagem. Já a recém-formada faz estágio desde fevereiro na área financeira.

“Sempre encarei o Formare como uma chance de conseguir algo melhor, não como uma brincadeira de adolescente. O que conquistei é mérito do que fiz no passado”, fala Novaes. “Antes do Formare fazia planos, mas me faltava uma base. Saio decidida do que realmente quero”, afirma Ingridy.

 

Segundo Novaes, as habilidades desenvolvidas durante o curso foram de fundamental importância para o seu crescimento. “No Formare, tornei-me diferenciado por entender o que são disciplina, ética, respeito, união e trabalho coletivo, além de tomar gosto pelo aprendizado”, enumera. Já Ingridy destaca a perserverança: “Aprendi que devemos fazer a diferença e mostrar que podemos nos superar sempre, independentemente se um problema é pequeno ou grande”.


Esta mudança de comportamento se reflete em estímulo para o estudo permanente. Após a formatura, ainda sem condições financeiras para bancar uma graduação, Novaes se qualificou com cursos técnicos --fez logística no Senai e informática, entre outros. Seus próximos passos, agora, serão cursar uma faculdade de engenharia e se tornar educador voluntário do Formare. “Antes não tinha nada. Hoje sou casado, tenho casa própria e carro. Agora quero ampliar meus conhecimentos e dividi-los com os novos alunos”.  

Ingridy, por sua vez, acaba de iniciar o curso superior de administração de empresas, mas já pensa em fazer cursos de idiomas, na pós-graduação e em permanecer na Delphi: “É uma ótima empresa. Gostaria de acumular mais experiências aqui, principalmente agora que vivo o início da minha carreira”.

 

Mesas solenes - Em Piracicaba, compuseram a mesa solene o Sr. Luiz Corrallo (diretor executivo da Delphi Powertrain e Thermal para a América do Sul), o Sr. Dr. Sergio Pacheco (vice-prefeito de Piracicaba e paraninfo), a Srª Cris Meinberg (Fundação Iochpe), o Sr. Luiz Paulo Reali (diretor adjunto da planta de Piracicaba), o Sr. Wagner Enrique (coordenador das Escolas Formare/Delphi), o Sr. Adilson Victória (Centro Tecnológico da Delphi Powertrain e o Sr. Mauro Souza (supervisor de Recursos Humanos da planta de Piracicaba).

 

Em Cotia, estiveram presentes o Sr. Luiz Raffagnato (diretor adjunto de operações da Delphi Automotive Systems do Brasil), o Sr. Luiz Roberto Corrallo (diretor executivo da Delphi Powertrain e Thermal para a América do Sul), o Sr. Domingos Carapinha (diretor de engenharia da MWM International e paraninfo), a Srª Cris Meinberg (Fundação  Iochpe), a Srª Maria Angélica Gomes Balanco (assessora técnica da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social) e o Sr. Wagner Enrique (corporativo de Relações Trabalhistas e Formare da Delphi para a América do Sul) (por Edson Lovatto, da Fundação Iochpe).

 

::LEIA MAIS

Alta cúpula da Delphi divulga cartas para estimular a adesão de novos voluntários

Delphi forma 6ª turma da unidade de Jambeiro (SP)

Comentários  

 
#1 Débora 13-11-2013 18:42 Escola Formare Paraisopolis mg
Fui aluna no ano de 2010. Foi uma oportunidade ótima, pois tive experiência, ampliei meus conhecimentos e me tornei uma pessoa melhor. Vi que posso fazer sempre o melhor. Hoje minha cabeça e meu modo de pensar e ver as coisas é outro. Tenho muitas saudades. Valeu, Formare!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

  • A+ A-
  • Print option in slimbox / lytebox? (info)
Joomla SEO by AceSEF